12°C 19°C
Ponta Grossa, PR
Publicidade

Coletores identificam a presença de esporos de ferrugem asiática em Arapoti

O equipamento que encontrou a presença dos esporos no ar é do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR) e foi o primeiro entre os municípios da região de Ponta Grossa a registrar uma ocorrência da doença

18/12/2020 às 17h14
Por:
Compartilhe:
Coletores identificam a presença de esporos de ferrugem asiática em Arapoti

Nesta quinta-feira (17), a ferramenta que ajuda a identificar previamente a chegada de uma das principais doenças da cultura da soja detectou a presença de focos de esporos de ferrugem asiática no coletor localizado na cidade de Arapoti, na região dos Campos Gerais. O equipamento que encontrou a presença dos esporos no ar é do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR) e foi o primeiro entre os municípios da região de Ponta Grossa a registrar uma ocorrência da doença.

O monitoramento de campo do IDR conta com 257 coletores distribuídos no Paraná e que identificam a flutuação de esporos no ar. O equipamento é composto por um cano de PVC, com cerca de 100 milímetros de diâmetros, com uma abertura traseira que forma uma aba que permite a abertura frontal com a força do vento, e que capta os esporos em uma espécie de lâmina. 

“A detecção encontrada no coletor de Arapoti nos mostra que existem esporos na região e que devemos redobrar os cuidados com a doença, fazer vistorias nas lavouras e quando necessário, realizar o manejo químico”, explicou o engenheiro agrônomo e assessor do projeto Grãos Sustentáveis na região de Ponta Grossa, Danilo Augusto Scharr. 

A identificação de esporos da ferrugem asiática no ar não significa, necessariamente, encontrar sintomas da doença nas plantas, no entanto, de acordo com Scharr, é imprescindível para que o produtor redobre os cuidados com a lavoura de soja, realize inspeções foliares frequentes e diminua a necessidade de manejo químico com produtos. “O nosso objetivo é usar os coletores para que o manejo químico seja feito apenas quando sejam detectados esporos nos coletores para que se reduzam as aplicações, refletindo em maior rentabilidade para o produtor e menores danos ambientais”, ressaltou o especialista. 

Neste mês de dezembro, o sistema do Consórcio Antiferrugem da Embrapa identificou ainda pontos com focos de esporos de ferrugem asiática com sintomas em plantas nas cidades de Castro e Carambeí, também na região dos Campos Gerais. 

A ferrugem asiática é uma doença capaz de provocar perdas de até 90% da produtividade do grão. De acordo com o IDR, para controlar e prevenir a doença, as melhores ações a serem realizadas são: cumprir o vazio sanitário de pelo menos 60 dias sem o plantio de soja; utilizar cultivares com genes de resistência; realizar semeadura no início da época recomendada; e realizar o controle químico com fungicidas. A doença é causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi. Os sintomas incluem pequenas pontuações verde-claro a amarelo-claro, que se tornam marrom-claro. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ponta Grossa, PR
17°
Tempo nublado

Mín. 12° Máx. 19°

17° Sensação
3.6km/h Vento
76% Umidade
72% (0.38mm) Chance de chuva
07h05 Nascer do sol
05h46 Pôr do sol
Sáb 13° 11°
Dom 17° 12°
Seg 17°
Ter 19°
Qua 21° 10°
Atualizado às 14h05
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,43 -0,21%
Euro
R$ 5,92 +0,14%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,09%
Bitcoin
R$ 336,733,15 +2,01%
Ibovespa
128,878,94 pts 0.46%
Publicidade
Anúncio
Publicidade
Anúncio
Publicidade
Anúncio
Publicidade
Lenium - Criar site de notícias