Quinta, 29 de Julho de 2021 06:37
(42) 99938-8770
Dólar comercial R$ 5,12 -1.31%
Euro R$ 6,06 -1.09%
Peso Argentino R$ 0,05 -1.36%
Bitcoin R$ 216.939,16 +2.609%
Bovespa 126.285,59 pontos +1.34%
Agronegócios Comércio exterior

Castro e Carambeí registram crescimento nas exportações de carnes suínas em 2020

Castro teve um crescimento de 13,5% de um ano para o outro e Carambeí registrou mais de 90% de expansão

23/11/2020 16h24
321
Por: Redação Fonte: Campos Gerais Rural
Castro e Carambeí registram crescimento nas exportações de carnes suínas em 2020

Duas cidades dos Campos Gerais registraram crescimento na comercialização de carnes suínas para o exterior em 2020: Castro e Carambeí. Juntas, ambas exportaram mais de 40 milhões de dólares do produto entre janeiro e outubro deste ano. No ano passado, esse valor era de menos de R$ 35 milhões, o que representa um aumento de 14% de um ano para o outro. As duas cidades são as principais exportadoras de carnes suínas da região. Os dados foram levantados pelo Campos Gerais Geral, através da plataforma ComexStat, do Governo Federal.

O destaque em valores é Castro, que sozinha, é responsável pela venda externa de US$ 38,5 milhões em carnes suínas. A iguaria é o principal produto exportado pelo município, representando 58% do total de exportações ao longo do ano. Em 2019, o valor das exportações chegou a US$ 33,9 milhões. Ou seja, em um ano, houve um aumento de 13,5% na receita dos produtos comercializados para fora do país. As exportações de carne suína realizadas por Castro representam 16% do total exportado por todo o Paraná, o terceiro estado que mais vende o produto externamente no país.

A cidade também exporta miudezas comestíveis de outros animais, como bovinos, ovinos e caprinos. Esse montante alcançou US$ 3,20 milhões em 2020 e fez com que os produtos de origem animal de Castro, comercializadas para o exterior, atingisse uma receita financeira de US$ 42 milhões aos exportadores.

Um dos condicionantes que faz Castro ser destaque nas exportações é o fato de abrigar a sede de uma das principais cooperativas do estado voltadas para a agroindústria, com produção de produtos derivados de carne suína, a Alegra. A unidade abate 3,2 mil suínos por dia e produz cerca de 140 toneladas de produtos diariamente, o que leva a uma média de 3,3 mil toneladas de carnes industrializadas por mês, conforme os dados do Governo Estadual, divulgados pela Agência Estadual de Notícias (AEN). A cooperativa é a maior empregadora da região, atendendo a todo o mercado nacional, além de exportar produtos para 33 países diferentes. A Alegra integra o grupo Onium, que reúne as cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal.

 

Carambeí

Apesar de ter números menores que Castro, Carambeí também teve resultados expressivos em 2020. A cidade conquistou uma expansão de 90,5% no total das exportações de carne suína em 2020, comparada a 2019. Entre janeiro e outubro deste ano foram US$ 1,89 milhão de receita financeira adquirida com as exportações do produto. Em 2019, o montante foi de US$ 992 mil. As carnes suínas representam 24% do total exportado pelo município. Outro destaque na comercialização externa de produtos animais são os ovos de aves, responsáveis por render US$ 1,45 milhão.

 

Contexto das exportações de carnes do Paraná

De acordo com o boletim semanal de conjuntura agropecuária da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab), o Paraná exportou 21% a mais de carne suína em 2020, comparado ao mesmo período de 2019. O volume exportado já totalizou 116,6 mil toneladas. Foram US$ 234 milhões gerados de receita financeira, conforme os dados do ComexStat. O estado possui 13,3% de participação na exportação desse produto feita pelo país. O Brasil vendeu para o mercado externo 841,9 mil toneladas, um aumento expressivo de 39% contribuindo para a balança comercial com 1,9 bilhão de dólares.

O contexto é semelhante ao de exportações de carne bovina, que segundo a Seab, aumentou em 16% no estado, em relação a valores. Neste ano, o rendimento foi de US$ 6,8 bilhões. Em volume, a expansão foi de 9%. Já as exportações da carne de frango tiveram queda de 13% nas receitas registradas. É o que indica a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Neste ano, a receita cambial está em US$ 5 bilhões, apesar do volume embarcado ter sido praticamente o mesmo do que o do ano passado. Em 2020 foram 3,498 milhões de toneladas. Em 2019, o montante foi de 3,490 milhões.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias