Região Sul é responsável por 45% do mel produzido no Brasil

Região Sul é responsável por 45% do mel produzido no Brasil

Produto de difícil produção, o mel na região dos Campos Gerais ainda é pouco explorado. Porém, conta com um grande investimento e já tem a Associação de Apicultores que, em anos anteriores, chegou a mais de 100 participantes. Contudo, nem todos continuam frequentando o local e muitos pequenos produtores nunca fizeram parte da entidade.


Maior produtora de mel do país, a região Sul é responsável por 45% da produção, onde o Paraná chega a quase ⅓ desse percentual. Com benefícios sociais, econômicos e ecológicos, a apicultura está presente em diversas áreas, colocando o Brasil entre um dos principais produtores do mundo (4º). Existem duas formas de produção: fabricado pelas abelhas, através do néctar das flores, e a de secreção de partes vivas de plantas e insetos sugadores, que é mais tradicional em Santa Catarina. Outros aspectos relevantes são a utilização dessa matéria-prima como fonte de energia e também no uso medicinal.


O tipo mais comum produzido é da fusão entre esses dois tipos de mel, tradicionalmente conhecido em todo o país. Em Ponta Grossa é bastante diversificado e depende das floradas disponíveis. “As mais comuns são de flores de eucalipto, bracatinga, aroeira, gabirobeira, “Maria mole” e outras plantas rasteiras.”, explica o Presidente da Associação de Apicultores de Ponta Grossa, Eberhard Husch.


Com ação de proliferação, a abelha contribui de forma importante na preservação, manutenção e regeneração da natureza, além de contribuir para a produção de frutos e sementes. Com isso, algumas pesquisas apontam que ambientes que possuem esses insetos por perto têm uma fauna farta.


Sobrevivendo entre 20 e 40 dias, a abelha operária inicia à partir do 22º dia de vida a coleta de néctar, pólen, resinas e água, quando são denominadas campeiras. Já a abelha rainha, chega até 2 anos de vida. No início da primavera começa um novo ciclo de reprodução e, nessa época, também é comum o aparecimento desses insetos, pois as abelhas operárias saem coletar alimentos para o desenvolvimento de toda a colmeia.


No verão, a produção deste produto orgânico aumenta, principalmente por conta do crescente número de flores no segundo semestre. “O maior benefício das abelhas não é o mel em si, mais sim a grande capacidade de polinização da vegetação ao seu redor. Estudos mostram que em lugares de plantações de laranja, por exemplo, macieira, enfim, todos os citros, quando temos grandes concentrações de abelhas, a produção pode aumentar em até 30 por cento em relação às outras”, pontua Ebehard.


Com a colheita ocorrendo entre outubro e abril, dependendo do clima, existem alguns cuidados durante o ano, como a “renovação da caixa onde as abelhas ficam, visita nos apiários, trato das abelhas quando necessário, além de investimentos em roupas apropriadas, condução certa, uma vez que a maioria dos apiários estão em lugares de pouco acesso.”, explica Husch. Para obter um produto com melhor qualidade, o básico é uma boa higiene, principalmente trabalhando com mesas desoperculadoras de favos, centrífuga, peneiras, todos em inox.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *