A atual situação econômica do Brasil e suas perspectivas no meio Rural

A atual situação econômica do Brasil e suas perspectivas no meio Rural

O Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, o Cepea e a Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil, a CNA, apontaram uma queda na economia de 0,15% no início do ano, sendo a pecuária responsável por 0,6%. No entanto, com o início do segundo semestre, houve uma melhora de quase 0,65%, segundo dados levantados pelo Cepea. De todo o Produto Interno Bruto (PIB) do país, o agronegócio é responsável por mais de 20%.

As queimadas e o tempo seco, comuns nessa época do ano, afetaram as produções agrícolas nos Campos Gerais. Para o secretário de agricultura do Paraná, Norberto Anacleto Ortigara “não é um momento tão bom para o agronegócio, por estarmos enfrentando problemas climáticos. Isso afetou a capacidade de produzir alimentos para uma boa parte dos agricultores. É um período natural de chuvas e queda no preço”, relata.

Mesmo com a oscilação anual do mercado agrícola, a comparação entre 2009 e 2019 mostra que este ano houve uma melhora significativa. Com várias opções de mercado e um produtor bem estruturado, a expectativa para o cenário é boa. “Em 2019 a gente também está saindo de uma retração de mercado, que foi o maior empecilho econômico de 2017”, comenta Alyson Gondaski, Diretor Executivo da MacPonta Agro.

Com a expansão do mercado e novos meios de adquirir produtos, à medida em que a produção aumenta, o agricultor investe mais, tendo uma melhora significativa no PIB. “O cenário de lá para cá só vem melhorado no campo e o cenário econômico parece estar melhorando também, o que parece trazer o negócio para uma alta novamente”, explica Gondaski.

LIVRE COMÉRCIO X EXPORTAÇÃO LÁCTEA

Em julho foi anunciado pela Ministra de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, um acordo de exportação de produtos lácteos entre Brasil e China, além do acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia, assinado em Bruxelas, no primeiro semestre. Marco histórico entre o MERCOSUL e a União Europeia, a reunião aconteceu no final de junho. No caso de produtos agrícolas, estes terão isenção ou diminuição nas tarifas.

A expectativa sob estes novos acordos são altas. “O setor tem grande oportunidade, por exemplo com esse acordo de livre comércio com a Europa. Entendo que China já abriu as portas para seus produtos lácteos também, então acho que é um bom momento para o setor no Brasil”, explica Chris Langley, Embaixador da Nova Zelândia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *