Paraná deve ser reconhecido como ‘Estado de Área Livre da Febre Aftosa sem Vacina’

Paraná deve ser reconhecido como ‘Estado de Área Livre da Febre Aftosa sem Vacina’

Na última quarta-feira (28), a Assembleia Legislativa do Paraná realizou uma audiência pública para discutir a Febre Aftosa no estado. O evento contou com a participação de cerca de 1,5 mil pessoas que lotaram a galeria do plenário para debater o assunto, entre eles, produtores rurais, lideranças e empresários do setor agropecuário, o chefe da Casa Civil, Guto Silva e o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SEAB), Norberto Ortigara.


O Paraná está próximo de ser reconhecido como ‘Área livre da Febre Aftosa sem Vacinação’ pela OIE (Organização Mundial de Saúde Animal), um momento de grande expectativa para todo setor. As discussões em Brasília, segundo lideranças, já estão em fase final.


Quem preside a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Assembleia é o Deputado Anibelli Neto. Segundo o parlamentar, essa é uma oportunidade de abrir novos mercados, o que deve favorecer os produtores paranaenses. Ainda de acordo com o deputado, a previsão para mudança de status do PR como ‘Estado Livre da Febre Aftosa sem Vacinação’ deve sair em 2021, previsão adiantada em dois anos no planejamento do Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA).“Será a oportunidade também de novos comércios gigantescos, como a China, por exemplo, que deve ser positivo e melhorar os preços para a produção do estado”, explicou durante discurso no plenário.


De acordo com a Seab, a última campanha de vacinação contra a Febre Aftosa aconteceu em maio. A próxima está marcada para novembro, mas pode ser cancelada caso o selo de área livre da doença seja concedido ao Paraná.

Foto: Rodolfo Botelho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *