Suspensão da Vacina Contra Febre Aftosa no Paraná

Suspensão da Vacina Contra Febre Aftosa no Paraná

A suspensão da vacina contra a febre aftosa no Paraná e sua mudança de status sanitário proporciona benefícios nas cadeias produtivas.

O Paraná há muito tempo é livre de febre aftosa, no entanto, não tem o reconhecimento fiscais do Ministério da Agricultura, pecuária e abastecimento (MAPA) e da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). Sendo assim, o Estado deve continuar a vacinar os rebanhos.

A vacinação ainda é obrigatória mesmo com a erradicação da doença. Isso prejudica a conquista de novos mercados e exige um desembolso de cerca de 30 milhões anuais com a compra das vacinas.

Em 2018 o Paraná teve o serviço de defesa agropecuária mais bem avaliado do país, segundo auditorias mediadas pela Adapar. Os setores públicos e privados do estado empenham-se para que o Paraná tenha seu serviço de agropecuária reconhecido nacional e internacionalmente, para que assim leve o título que lhe cabe no mercado mundial de proteína animal.

Foto: Faep

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *